A Black Friday definitivamente entrou no calendário dos consumidores brasileiros. Em 2021, o faturamento do comércio eletrônico brasileiro ficou na casa dos R$ 5,4 bilhões, crescimento de 5,8% na comparação com 2020. Ou seja, cada vez mais a data e torna importante para os e-commerce.

Já na comparação com o período pré-pandemia (2019), a comparação mostra uma diferença ainda maior. Segundo dados da consultoria NielsenIQ Ebit, a alta foi de 25,1% no faturamento das lojas online.

Além disso, os dados da consultoria Neotrust mostram que ano passado o consumidor teve um comportamento diferenciado: a busca por produtos mais caros. Isso porque apesar de o faturamento ter crescido, a quantidade de pedidos diminuiu em 0,5%.

Outro ponto importante na pesquisa foi a forma de pagamento utilizada pelos consumidores. Mesmo com a consolidação do PIX, o cartão de crédito seguiu sendo o meio mais utilizado durante as compras, seguido por boleto parcelado e, por último, o PIX.

Aumento para 2022

Se você achou que nos anos anteriores os resultados foram bons, para 2022 eles devem ser ainda melhores. Uma pesquisa recente mostrou que para a Black Friday deste ano, que será realizada em 25 de novembro, 50% dos consumidores pretendem realizar compras, alta de 3 pontos percentuais ante o ano passado. Na classe A, esse número é ainda maior, 65% pretendem realizar alguma compra na data.

O levantamento mostra que 62% dos consumidores acreditam que haverá uma melhora financeira no segundo semestre de 2022. E neste ano ainda temos um evento especial: a Copa do Mundo.

Dos que pretendem comprar algo em função da Copa, 72% também têm a intenção de comprar na Black Friday.

Reclamações

Os dados das última Black Fridays mostram que os consumidores cada vez mais esperam pela data e têm se preparado para aproveitar as ofertas. E o e-commerce em geral deve seguir na mesma linha, começando meses antes a se preparar para não ter nenhum imprevisto durante essa data tão importante.

Um levantamento do site Reclame Aqui mostrou que o ano de 2021 registrou o recorde de reclamações durante a Black Friday, com alta de 19% na comparação com o ano anterior. Grande parte das reclamações estava relacionada à demora para a entrega dos produtos.

Ou seja, cada vez mais é importante se preocupar com a experiência do usuário, seja pela demora na entrega, seja pela navegação ruim durante a compra. Assim, uma das primeiras preocupações é ter um site responsivo, que não cause fricção durante a transação.

Mas como lidar com as fraudes?

Ao mesmo tempo em que vivem a empolgação para a data, as lojas online sofrem com um dilema: as fraudes. Como conseguir fazer com que o usuário tenha uma boa experiência durante a compra e, ao mesmo tempo, garantir que aquilo não se trata de uma fraude?

Com cada vez mais consumidores realizando compras, é comum que os fraudadores se aproveitem de alguma vulnerabilidade para “comprar” produtos, principalmente aqueles que possibilitam agregar valor de revenda.

Além disso, com os seguidos vazamentos de dados, os golpistas podem fazer roubo de contas (account takeover) ou até mesmo criarem uma identidade sintética para testar cartões e conseguir compras em sites despreparados. Neste caso, o prejuízo é duplo: além de arcar com o valor do chargeback, as empresas ainda teriam de pagar pela mercadoria enviada ao cibercriminoso.

Por isso é tão importante olhar para isso meses antes da data! A boas práticas durante uma transação são fundamentais e conquistam os clientes, fazendo com que voltem a transacionar na plataforma.

Assim, contar com um antifraude é fundamental não só para evitar perdas financeiras, mas também para melhorar a experiência do consumidor e aumentar a conversão.

Aproveitar a tecnologia

Por falar em antifraude, atualmente é fundamental que esse recurso aproveita a evolução da tecnologia. Assim, contar com uma ferramenta que utiliza Machine Learning é fundamental para evitar chargebacks e, de quebra, ainda melhorar a UX.

A plataforma da Legiti evita que os pedidos passem por uma mesa, fazendo uma avaliação de todo o contexto de compra de maneira segura e eficiente. Para isso, contamos com Features que verificam, por exemplo, a quantidade de contas acessadas por um único dispositivo, os produtos comprados a partir de uma mesma geolocalização, os horários de compra de um determinado item, entre outras centenas de variáveis.

Ou seja, somos capazes de avaliar com bastante assertividade se uma transação é real ou não. Tudo isso em menos de 3 segundos! Assim, não apenas evitamos perdas por chargeback como ainda aumentamos a conversão. Para isso, temos uma plataforma adaptável e que constrói um modelo próprio para cada negócio.

Outro ponto fundamental durante a Black Friday é contar com um sistema que consiga suportar a alta demanda. Já imaginou o quanto um e-commerce perde em uma data promocional como essa se a plataforma ficar minutos ou até mesmo muitos segundos fora do ar?

Nossa plataforma conta com a mais avançada tecnologia e está totalmente preparada para suportar a quantidade de transações!

Ainda não é cliente Legiti e quer saber como se preparar para a Black Friday? É só preencher este formulário!

Artigo escrito por Felipe Oliveira
Felipe Oliveira é jornalista apaixonado por futebol, mas decidiu levar os esportes apenas como lazer depois trabalhar na redação em uma edição de Jogos Olímpicos e uma Copa do Mundo. Formado também em Direito, desde 2019 aceitou o desafio de escrever sobre tecnologia e, em 2021, passou a atuar com o tema fraudes. No tempo livre gosta de assistir a jogos de futebol e matar a saudade da infância com canais de YouTube sobre games antigos.