Ticketeiras de eventos devem ficar atentas às fraudes mais comuns. Conheça algumas e veja como combatê-las!

As vendas online no Brasil estão em constante crescimento. De acordo com relatório da Neotrust, com dados de compra no e-commerce no primeiro trimestre de 2021, houve um aumento de 57,4% de compras online em comparação ao mesmo período de 2020. Mas, ao mesmo tempo em que o crescimento traz muitos benefícios, também está acompanhado de um problema cada vez mais comum: a fraude transacional.

Em geral, empresas que aceitam pagamento online estão sujeitas a algum tipo de fraude. Uma pesquisa da Association for Financial Professionals (AFP) mostrou que 81% das empresas foram alvos de fraudes de pagamento em 2020. Por isso, é importante se atentar aos principais tipos de fraudes existentes, principalmente em ticketeiras de eventos. Quando a procura por ingressos é alta, a exposição a possíveis tentativas de fraudes aumenta, o que pode ser prejudicial para a sua empresa.

Por isso, neste artigo, listamos como os principais tipos de fraude existentes têm relação com o cartão de crédito e o roubo de dados pessoais e como você pode se proteger de possíveis ataques. Continue a leitura!

Clonagem de cartões

Clonagem de cartões é o tipo mais comum de fraude, que pode ser realizada de diversas formas. Apesar de o cartão físico ser utilizado também para essa finalidade, é nas compras online que essa fraude se destaca. Nesses casos, a própria ticketeira de eventos já consegue identificar a compra indevida. Entretanto, a maior parte das tentativas é bloqueada automaticamente pelos bancos. Isso porque, alguns fazem uma analise do histórico financeiro do cliente antes de liberar o pagamento.

Uma forma de evitar esse tipo de fraude é desenvolver scripts ou robôs para testar cartões. Imagina, quando um cartão é clonado, geralmente são realizadas várias transações em pouquíssimo tempo. Dessa forma, os robôs conseguem identificar se o cartão utilizado foi clonado pelo número de operações realizadas.

Geradores de número de cartões

De maneira similar à clonagem de cartões, os geradores de número são ferramentas que geram diferentes combinações numéricas. Quando ela corresponde a um cartão de crédito válido, o fraudador consegue realizar a compra utilizando a sequência indicada.

Roubo de dados e mensagens falsas

Outro tipo de fraude comum e que pode ser prejudicial para a sua ticketeira são os roubos de dados com mensagens falsas.

Os golpes de phishing envolvem ligações e mensagens para os clientes. Elas parecem ter sido enviadas pela sua empresa, mas são fraudulentas. Muitos clientes acabam enviando dados pessoais como endereço, documentos e até mesmo o número do cartão de crédito. Acreditando que se trata de um pedido oficial da empresa, várias pessoas sofrem golpes e acabam perdendo dinheiro para os fraudadores.

Nesses casos, é fundamental estabelecer canais de comunicação com os clientes. Crie mensagens padronizadas, invista em campanhas de conscientização, entre em contato avisando sobre possíveis golpes. Mesmo que o prejudicado seja o cliente, a sua empresa pode sofrer as consequências com a má reputação e ser descredibilizada no mercado.

Chargeback

Chargeback, ou “reversão de pagamentos”, acontece quando uma cobrança é contestada pelo titular do cartão. O dono pode pedir o reembolso do valor. Assim, caso o consumidor perceba em sua fatura o lançamento de uma compra que ele não realizou, o banco realiza um estorno. Geralmente, o chargeback acontece em pagamentos digitais, quando não há autenticação por senha.

O grande problema é que esse mecanismo protege os consumidores, mas não quem oferece o serviço ou produto. Em alguns casos, os produtos já foram enviados aos consumidores e os serviços já foram prestados, causando altos prejuízos financeiros.

Além disso, em boa parte dos casos, o chargeback é uma operação fraudulenta. Também chamada de friendly fraud – fraude amigável – esse tipo de transação deixa a empresa vulnerável diante dos riscos da operação, como clonagem de cartão e extravio de ingressos, por exemplo.

Como combater o chargeback?

Conte com um sistema de gerenciamento de risco: Eles podem identificar padrões de comportamento mais rapidamente;

Use listas de bloqueio: Para evitar que aqueles mesmos consumidores, que já foram barrados em algum momento, voltem a realizar compras;

Crie regras de segurança: Utilize um mecanismo que permita que a loja virtual esteja a frente dos fraudadores;

Opte por empresas que ofereçam análises estatísticas e técnicas de inteligência artificial para reduzir o número de chargebacks fraudulentos.

A Legiti, por exemplo, faz análises estatísticas e utiliza técnicas de inteligência artificial, de modo a otimizar o equilíbrio entre chargeback e conversão para quem trabalha com vendas online.

Somos a plataforma mais moderna de defesa contra fraudes de cartão de crédito da América Latina.

Nossa solução tem como objetivo principal a maximização de receita retida para nossos clientes. Mergulhando profundamente em seus modelos de negócio e entregando uma solução customizada para a sua realidade.

Então, se você não quer mais sofrer mais com fraudes e otimizar seus resultados, não perca tempo e entre em contato conosco!

A gente foca no seu negócio para você se preocupar com o que é importante: vender!